PENSAR PENSAR PENSAR

E pensas, pensas, pensas, ainda que não o queiras e o tempo todo, pensas contra a tua própria vontade, sem descanso ou respiro, sem que tuas idéias te deixem em paz, tentas fechar os olhos e pretendes dormir mas é como se não os fechasses porque segues inteiro acordado e todos os problemas teus e do mundo precisam ser resolvidos por ti e agora, a conta cujo vencimento é no início de agosto, as notas ruins de teu filho no bimestre passado, a reunião com os clientes amanhã à tarde, a fome na Eritréia, será que fechaste direito a porta do escritório à hora em que saíste?, em tudo pensas e em tudo ao mesmo tempo, muito e tudo e sempre e tanto, não chegas a te despedir de um assunto e já te inicias em outro, nada do sono vir enquanto os teus olhos seguem abertos e estrelados contando as tábuas do forro, e então pensas que é preciso trocá-las e aí já é um novo problema a incomodar, o mais triste (triste!) é que sabes que sequer são problemas os problemas em que não consegues parar de pensar, dói isso, todas as noites, olhos verdes de tanta insônia, porque já está separado o dinheiro para a conta de agosto, as notas do teu filho estão bem melhores, a reunião de amanhã não tratará de nada importante, bem lembras de ter girado duas vezes a chave da porta do escritório, e a fome da Eritréia, bem, o que fazer quanto à fome da Eritréia?, e mesmo assim teimas em pensar e pensar contra a vontade, dói, porque sentes isso quase fisicamente, as têmporas palpitando, o sangue correndo com mais força em tuas veias como se fosse um rio querendo transbordar, certa pressão além da conta, um rumor vermelho, e nada, mesmo que queiras não consegues, e a cada tempo voltam os problemas, a reunião que já será daqui a pouco, o madeirame do teto que precisa ser trocado com urgência e que te deixa ainda mais agitado porque só viste isso agora, todos os problemas do mundo caindo em tua noite enquanto tua esposa dorme numa tranqüilidade que é como se não existisse a fome na Eritréia, e enquanto a invejas isso passa a ser uma dor ainda maior, pensar assim a doer, isto certamente um dia ainda irá te fazer mal, será que não existe um jeito de conseguir parar de pensar?

Outros Contos


A NOVA VIZINHA

JOHNNY WILD CONTRA BRONCO JOE

AS PALAVRAS DA CASA

DOWN?

ESCOLHER O SORRISO

AINDA

OCORRÊNCIA POLICIAL

O MAR AO LONGE

O PAI QUE ESPERA O FILHO ACORDAR

ESTE DOMINGO

AQUI TEM –

LIXO

POR ONDE ANDARÁ A INFÂNCIA?

A ETERNIDADE DURA MUITO

TANTO TEMPO

AS COISAS COMO ELAS SÃO

AS TEIMOSIAS

O FILHO

PRETO E BRANCO

O CALOR

 

 

 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais