CRÍTICA LITERÁRIA

Trata-se do mais recente livro do escritor Pietro Gundertann Caramóis, cujo título é “Os sentimentos profundos da alma de Catarina”. Publicado pelo selo Best da editora Very Best, a obra veio a lume no mês passado e já começa a receber os devidos comentários da imprensa especializada.

O livro está aparecendo bem nas prateleiras das livrarias. Impresso no formato 14cm x 21cm, na clara tipologia Frutiger, em papel 85 g/m2 (miolo) e papel cartão supremo 250g/m2 (capa), com laminação fosca e reserva de verniz. O papel do miolo tem uma certa porosidade desnecessária, mas que é compensada pelo brilho na sua intensidade mais exata.

São cento e trinta e seis páginas, mas desconte-se destas a bem lançada folha da epígrafe, as três folhas do prefácio e o sumário, que está bonito e elegantemente acomodado numa única página do livro. Sobram cento e trinta e uma páginas para aquilo que se pode chamar de ´leitura”, divididas em dezessete capítulos relativamente curtos, sendo interessante destacar que cada um tem o seu título próprio. Se eventualmente for colocado em pé, o livro assim se mantém sem a necessidade de maiores auxílios.

A capa chama pouca atenção, mas parece cumprir com simplicidade sua função de bem resguardar o miolo do livro. O fundo é branco (excelente escolha) e, sobre este, um desenho de certa tendência surrealista, um pouco incompreensível, em vermelho e amarelo. Na parte superior da capa, em letras amarelas, o já mencionado título do livro; logo abaixo e também em letras amarelas, num efeito bem escolhido, está consignado o nome do autor. A contracapa traz o resumo do livro – resumo este que ainda não tive tempo de ler. As orelhas talvez pudessem ser melhor aproveitadas: há uma foto um pouco desproporcional do autor e, logo abaixo, algumas linhas de seu extenso currículo; além disso, esparsas linhas da vasta fortuna crítica já publicada a respeito da obra do escritor – dentre estas, em imerecida homenagem mas também para meu orgulho, algumas palavras escritas por este que agora vos escreve. Meu nome está no mesmo corpo do restante do livro; talvez pudesse ter sido utilizada outra tipologia, algo um pouco maior - mas são apenas detalhes pequenos.

Enfim, no geral, o livro convence.

Devo começar a lê-lo na próxima semana.


Outros Contos


A ESCOLA

O MAR AO LONGE

O CINEMA

A ARTE DA SEDUÇÃO

O BILHETE – II

FERIADÃO

PRIMEIRA PÁSCOA

NESTE CARNAVAL EU VOU BEBER!

PROGRAMA DE BEM ESTAR

CRIANÇA TEM QUE SER FELIZ

O VENDEDOR DE PEDRAS

MEU NOVO VIZINHO

EDUARDO, QUE ESPALHA ESTRELAS

DIA DOS NAMORADOS

OITO DE MARÇO

O OLHO

ARGANAZES

O ERRO NOS OLHOS

REGINA RENNÉ

TEMPO DE COMPREENDER

 

 

 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais