A VIDA

O teatro é todo um silêncio respeitoso.

O violoncelista da orquestra, depois de quarenta anos de concertos e ensaios, está se aposentando. Ele acaba de acomodar-se em sua cadeira, após uma salva de palmas à qual sequer estava muito acostumado e que lhe umedeceu os olhos cansados de músicas e partituras, e se prepara para tocar. A apresentação não deixa de ser uma homenagem: as duas suítes de Bach que encerram o concerto são para o seu solo de violoncelo. Pode-se escutar a respiração dos músicos; todos aguardam que, em instantes, ele comece a tocar.

O teatro é todo um silêncio de lembranças.

Em quarenta anos de orquestra, fez muito mais amigos do que desafetos. São quatro décadas, pensa ele: tantos se foram, quantos chegaram. Os moleques cheios de ganas lindas, os velhinhos se resignando a bem acertar as notas, a companhia sempre revigorada da música. Ficará agora sem a rotina dos ensaios, das viagens, dos erros e acertos, dos aplausos, das apresentações, os teatros e as praças, o peso e carregar o instrumento.

O teatro é todo um silêncio emocionado.

Mas também terá o tempo que sempre quis e pouco pode à família. Por isso, estão todos no teatro, agora, nós na garganta a assistirem seu último concerto: a mulher, os três filhos, as duas noras, os quatro netos. Inclusive Artur, pouco mais que recém-nascido: cinco meses e está assistindo à despedida feliz e triste do avô.

O teatro é todo um silêncio expectante.

Não há o som de nenhum instrumento. Agora, sequer os respiros se escutam. Todos parecem prender o ar, esperando que ele inicie o seu solo, o seu momento, a sua dança imóvel de despedida.

Ele puxa o arco, pronto para tocar sua primeira nota.

E então, Artur começa a chorar.


Outros Contos


A MOÇA DO 20º ANDAR

O MAR AO LONGE

TOM MENOR

MULTICORES

EMÍLIA AO TELEFONE

PARA QUE SERVEM OS LIVROS?

MENELAU

AMOR DE CARNAVAL

BOTAR AS CARTAS

DESAMOR

TODAS AS HISTÓRIAS DÃO UM LIVRO

CRIANÇA TEM QUE SER FELIZ

REENCONTRO

É SÓ UMA ROSA?

O DISCURSO

RODAR, RODAR

EDUARDO, QUE ESPALHA ESTRELAS

OS OLHOS DO MEU FILHO NOS OLHOS DE OUTRO FILHO

OS POEMAS DE AMOR

O HOMEM NO BAR

 

 

 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais