O SORRISO DO REI MOMO

Uma festa só, a avenida, festa essa que começou lá pelas oito e meia da noite e se estenderá até que o sol esteja claro e pleno no céu – mas festa que, na verdade, iniciou muito antes e ninguém sabe bem ao certo quando irá acabar (e pouco importa). A música, os tambores, os gritos, as cores, a dança - tudo é harmonia nestes dias de folguedos.

O maior sorriso é o do Rei Momo.

É ele quem conduz a alegria nestes dias quentes em que reina sobre a cidade. Se é ele o rei, pensa, deve ser também o mais alegre - o rei da alegria.

E samba com mais leveza do que os seus cem quilos permitem. Nos outros dias do ano, talvez este peso lhe arraste os pés, e que uma caminhada seja às vezes sacrifício. Mas nestes dias do Carnaval, não: os cem quilos não existem, e, embaixo da coroa de lata e papel brilhante, enchendo a fantasia de sol e suor, o Rei Momo manda suavemente na alegria.

O povo percebe a imensidão do seu sorriso.

Ele recebe as escolas com a simpatia de um vendedor de carnês, acolhendo-as em seu reino de quatro dias, e a avenida vibra com seus passos bem ensaiados, a elegância de sua dança, a leveza de seus movimentos, o sorriso maior que a avenida.

Toda a cidade sorri junto com o seu sorriso.

Ah, o sorriso do Rei Momo – todos percebem. Mas ninguém sabe a dificuldade de mantê-lo. O quanto ele sofre para mantê-lo

Só ele mesmo.

Ele e, talvez, a Rainha do Carnaval – esta morena linda com quem samba de mãos dadas, mas que faz questão de demonstrar que nem sabe que ele existe, e por quem está desesperadamente apaixonado desde a primeira vez que a viu.


Outros Contos


A MÃE E A FADA DO DENTE

QUINZE ANOS

O ACASO

ESCOLHER O SORRISO

O CONDE

CENA DE CINEMA

A ARTE DA SEDUÇÃO

O CARNAVAL DO SAFADÃO

AS OPÇÕES

SEBASTIÃO

O GÊNIO NA VIDA DE VICENTE

O HORROR

PROGRAMA DE BEM ESTAR

O CAVALEIRO E SEU CAVALO

O DISCURSO

BETÂNIA EM SEUS SONHOS

O ANJO NA JANELA

DIA DOS NAMORADOS

AS OUTRAS COISAS, COMO ELAS SÃO

S/A

 

 

 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais