TODO MUNDO SABE QUE ASSOMBRAÇÃO NÃO EXISTE

Hoje de tarde, assim do nada, o mano inventou de me dizer que existe monstro e que existe fantasma. Assombração, estas coisas. Não sei por que ele veio com este papo. Só sei que chegou rindo para mim, depois que eu voltei do colégio, perguntando se eu acreditava em monstro e fantasma e depois foi logo me dizendo que eles existem mesmo. Me contou que tinha visto num programa de TV, um cientista falando que é bem assim, que monstro existe de tudo quanto é jeito, um mais feio que o outro, e que fantasma existe de dois tipos: aqueles de lençol branco, como os que aparecem nos desenhos, e aqueles meio zumbis, parecendo gente podre, muito mais feios. E depois, querendo me assustar, o mano ainda disse que de noite eles vem puxar os pés dos moleques de seis anos, como eu.

Um trouxa, este meu irmão.

Porque todo mundo sabe que fantasma e monstro não existem.

É invenção dos mais velhos só para ficarem tirando onda com a gente. Ficam querendo assustar a gurizada, pensando que a gente é bobo. Fantasma e monstro não existem, é só em filme e na televisão – e eu nem olho este tipo de filme, minha mãe não deixa. Só de vez em quando, até porque eu não gosto. Porque na TV, cruzes, como eles são feios! Eu meio que nem olho quando aparece um fantasma ou um monstro, fico meio assustado e tapo os olhos com as mãos ou fico prestando atenção em outra coisa até que a cena passe. Mas isso, claro, é só na TV. Quer dizer, eu só me assusto com o que aparece na televisão. Porque como eu disse há pouco, todo mundo sabe que fantasma não existe.

Um trouxa mesmo, este meu irmão

Mas pelas dúvidas, só por hoje, quando a mãe vier me dar um beijo de boa noite, vou pedir para dormir com a luz acesa.

Só hoje, porque todo mundo sabe que assombração não existe.


Outros Contos


DIA DOS NAMORADOS

OUTRA CENA DE PRAIA

A CIDADE EM OLHOS DE FUTURO

A VIDA PASSA AO LADO

SINAL VERMELHO

O HOMEM MAIS VELHO DO MUNDO

AMOR NÃO RIMA COM BAR

O CHAPÉU MÁGICO

TEMPO DE FLORADA

DIA DOS NAMORADOS

A MENTE COLORIDA

O SOL FRIO

CINQUENTA

AS QUATRO

AS OPÇÕES

OS MILAGRES SIMPLES

OS OLHOS DAQUELE MENINO

FAZER UM CAFÉ

INFÂNCIA MODERNA

O BIGODE

 

 

 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais