AS FALAS DA MÃE

Vou contar até três. Tem que comer pra ficar forte. Já prá casa! Vai lavar esta boca com sabão. Eu quero este quarto arrumado a-go-ra! Ah, mas hoje o chinelo vai cantar! Levanta já desta cama! Não quero mais ouvir nenhum pio! (Piu!) Espera só o teu pai chegar em casa. De castigo no quarto! E só sai quando eu mandar. Repete pra ti ver. Assopra que passa. Meia-noite em casa, entendeu? Deixa um pouco de chocolate para o teu irmão. Olha que eu vou pegar a varinha! Vem já aqui! Um, um e meio, dois, dois e meio... Lavou atrás das orelhas? Tu vai ver só! Não chora mais. Engole o choro. Guarda estes brinquedos. Não levanta da mesa enquanto não comer tudo. Deixa eu ver como estão as unhas. Porque não e ponto. É só uma picadinha, não vai doer nada. Vê ; se não pega friagem. Já falei que não é pra deixar o cachorro entrar dentro de casa. Não esquece de levar um blusão. Olha o jeito como tu fala comigo. Meu Deus, que chulé! Quando a gente chegar em casa, nós vamos conversar bem de perto. Deixa o teu irmão brincar também. Eu bem que te disse. Dorme com os anjos. Quero ver se tu tem coragem. Quando casar, sara. Desliga esta TV. Se não comer não ganha sobremesa. Faz o que eu estou mandando. Eu vou falar só uma vez. Tá quentinho? Se eu tiver que levantar daqui, a coisa vai ficar séria. Mais uma colherada. Para dentro, agora! Não quero nem saber. Limpa esta sujeira. Comendo bala de novo? Se for menino vai ser Henrique, se for menina será Helena. Levanta estas roupas do chão. Guarda os tênis no armário. É mertiolate, vai arder só um pouquinho. Tu sabe que eu não durm o enquanto tu não chega. Quando eu falo ´agora´, é agora. Só mais cinco minutos, e depois chega. Deixa eu dar uma olhada nesse tema. Bota uma manga. Dá um beijo na tua mãe. Eu te amo, meu filho.

Saudade disso tudo.


Outros Contos


A ARTE DA SEDUÇÃO

AS FELICIDADES PEQUENAS

QUALQUER DIA QUE NÃO SEJA 8 DE MARÇO

DOIS SILÊNCIOS

O PERSONAGEM QUE ME ESCREVE

O BIGODE

Ô, GOSTOSA!

JOGANDO BOLA NO CÉU

O ERRO NOS OLHOS

PAPAI SABE TUDO

ELAS

ALTA SOCIEDADE

O HORROR

BAILE DE DOMINGO

AS FALAS DA MÃE

O AMULETO

O DIA, LÁ FORA

O IPÊ

PENSAR PENSAR PENSAR

PROFESSOR ZANDOR

 

 

 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais