SE EU TIVESSE VINTE ANOS A MENOS

Se eu tivesse vinte anos a menos,
É certo que eu não teria algumas destas rugas
Que marcam sem maior vergonha
Os cantos claros dos meus olhos,
Nem estes pequenos pesos que vão chegando
E se instalando quase com delicadeza
No mapa inexato do meu corpo.
Eu não teria esta lentidão no olhar,
Este passo sem pressa,
As veinhas azuis que me mancham as mãos
E desenham na minha vida sinais de calendário.
Eu não teria estas marcas que não vejo.
Estas manias que lentamente aparecem,
Sem que eu sequer saiba ainda quais são,
E que tomam o jeito de resmungos nas manhãs.
Se eu tivesse vinte anos a menos
Eu não teria tanta vontade de verão nos dias frios,
Dedos em gelo e nariz vermelho,
Nem tanto desejo de inverno no calor,
Costas molhadas e suor parado.
Eu não teria estas impaciências
Às coisas pequenas
Nem esta paciência branda
Às coisas que de verdade importam.

Se eu tivesse vinte anos a menos
Eu não teria, é certo, tantas saudades.
Estas saudades que me acompanham
Os dias e os caminhos,
As horas e os pensares,
E que, tanto doces como tristes,
Me dão a certeza de que é melhor tê-las
Do que não tê-las.
(E por que explicá-las?)
Ai, tantas saudades.



Se eu tivesse vinte anos a menos,
É certo que nada disso eu teria.

Mas se eu tivesse vinte anos a menos
Eu não teria vivido estes vinte anos.



Outros Contos


O GRITO (OS GRITOS)

O ARTESÃO

O CALOR

AS TEIMOSIAS

O CELULAR DO MEU FILHO

ROUBADA

ESTÁTUAS VIVAS

OS OLHOS DAQUELE MENINO

O CASACO DE LISTRAS AZUIS

ERENITA

A CIDADE EM OLHOS DE FUTURO

O CASAMENTO

A VISITA DAS SETE MENINAS

OS CINCO SUPER HERÓIS

ESPERA

SAPATEIRO

O CHEFE

O ACASO

DIA DOS NAMORADOS

A MENTE COLORIDA

 

 

 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais