Escrever é uma luta contínua com a palavra.
Um combate que tem algo de aliança secreta.
                               (Julio Cortázar)

Henrique Schneider vive essa luta cotidianamente. A luta contínua/aliança secreta com a palavra. Escreve para despertar o novo, rememorar o antigo... Contar histórias, também. A literatura nunca como ponto de chegada; sempre como ponto de partida. Um ponto de partida que une as mãos de quem escreve com os olhos de quem lê.

E na Internet, então, se estabelece esta possibilidade interminável de possibilidades.

Escreva, também. Sugira, critique, converse... Ou apenas leia!
 
 

 


Henrique Schneider concede entrevista à Radio France Internationale


“A Vida é Breve e Passa ao Lado” ganha quarta reimpressão


”Respeitável Público” em ebook