Gustavo Nielsen lança livro em Porto Alegre, traduzido por Henrique Schneider
”A outra praia” venceu o Prêmio Clarín de Romance 2010 e é o primeiro livro do escritor argentino publicado no Brasil.
   
Gustavo Nielsen (foto) nasceu em Buenos Aires, em 1962. É arquiteto, desenhista e escritor. E um de seus livros, traduzido por Henrique Schneider, será lançado na 58ª Feira do Livro de Porto Alegre no dia 02 de novembro, sexta-feira, às 20 horas, com sessão de autógrafos.
A outra praia conta a história de Antonio, que sai com câmera fotográfica em punho e encontra uma moça misteriosa, que se torna uma obsessão e o ponto de partida de uma jornada na qual uma casa na praia, um escritor de livros de terror e o enigma eterno da morte terão um papel decisivo. A obra venceu o Prêmio Clarín de Romance 2010 e é o primeiro livro do escritor argentino publicado no Brasil.

No mesmo dia, mais cedo, Nielsen e Schneider participam da mesa-redonda "Literatura do Sul - Estética e Cenário", também com Lélia Almeida. Será na Sala dos Jacarandás - Memorial do RS, às 19 horas.

GUSTAVO NIELSEN - Seu livro de contos Playa quemada (Alfaguara, 1994) foi o primeiro colocado no Prêmio da Bienal de Arte Jovem e no Prêmio do Conselho Deliberativo da Cidade de Buenos Aires. Duas vezes finalista do Prêmio Planeta pelos romances La flor azteca (1997) e El amor enfermo (Alfaguara, 2000) e finalista do Prêmio Clarín de Romance por El corazón de Doli (2010), é também autor dos livros de relatos Marvin (Alfaguara, 2004), Adiós, Bob (2006) e A fé cega (2009), e do romance Auschwitz (Alfaguara, 2004), vencedor do Prêmio Antorchas 2003. Vários dos seus contos figuram em antologias na América Latina, Espanha, Alemanha, Polônia, Suécia e Rússia.

Opinião


“Um romance muito original, sutil, comovente. Maginificamente construída, a surpreendente história vai revelando seus mistérios à medida que se avança a leitura. Possui esse encanto irresistível dos bons espetáculos de magia.”
Rosa Montero

“Poucas vezes me envolvi em um romance como nesta, com o prazer de explorar uma terra incógnita, sem prever o que o autor me prepara, e com a certeza de que, seja o que for, me surpreenderá positivamente.”
Edgardo Cozarinsky

“Todos aceitamos a outra vida. A maneira como nos relacionamos com ela é um mistério que somente se explica nos sonhos ou nas boas narrativas. Estamos nesse último caso, e estamos também – como não? – diante do relato de um sonho.”
Juan Cruz Ruiz

FOTO: reprodução / clarin.com
 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais