Henrique Schneider encerra ciclo de leituras em Novo Hamburgo
Escritor hamburguense promete música para acompanhar sua voz na Fundação Scheffel.
   
A Fundação Scheffel será o palco do escritor hamburguense Henrique Schneider pelo projeto Leituras Feevale Contos da Vida Breve pela última vez na edição de 2012. Sua cidade natal o receberá nesta quinta-feira, dia 29, a partir das 20h30min.
Na ocasião, como nas demais sessões do projeto que passou por 11 cidades (incluindo Punta Del Diablo, no Uruguai, e Buenos Aires, na Argentina) em seu ano VI, Schneider lerá alguns de seus contos para o público. A entrada é gratuita. "Estou empolgado com a leitura de quinta-feira, que terá duas participações especiais”, adianta o escritor.

Henrique refere-se a dois duos: um hamburguense, composto por Pedro Dom no clarinete e Marcelão no violão, e o Libertango, de Porto Alegre, com Eduardo Martinez no violão e Vinicius Farina no violino. O primeiro irá interpretar clássicos da bossa nova e o segundo, algumas obras-primas do grande tangueiro Astor Piazzolla. O mestre argentino fundia jazz e música clássica, alterando o ritmo portenho e revolucionando conceitos.

"São músicos de altíssima qualidade", avalia o escritor. "Além disso, Novo Hamburgo gosta de música e há uma boa recepção para o tango. Assim, será uma apresentação com literatura e música."

CULTURA - A leitura no município hamburguense, com esta mescla de diferentes expressões culturais, é benéfica para todas as partes - inclusive o público, que poderá apreciar o duplo espetáculo. "Acho muito importante este diálogo da literatura com outras manifestações artístico-culturais - música, teatro, dança, cinema -, porque estas parcerias servem para aumentar o público da literatura."

O projeto


Esta é a sexta edição do projeto, em que o autor lê e interpreta ao vivo os contos que escreve semanalmente. Passou, em 2012, por Porto Alegre, Buenos Aires, Taquara, Caxias do Sul, São Francisco de Paula, Igrejinha, São Leopoldo, Sapiranga, Ivoti e Dois Irmãos. Em edições anteriores, seu roteiro também incluiu livrarias, bibliotecas e espaços culturais de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Montevidéu, Porto e Lisboa.

FOTO: reprodução / Facebook Município de Nova Hartz
 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais