Projeto no Rio de Janeiro incentiva a leitura e a ocupação de espaços públicos
   
Para ocupar os espaços públicos, incentivar a leitura e ainda renovar os títulos da sua biblioteca, foi lançado no último domingo, dia 31, o projeto Livre.Ria. A primeira edição aconteceu durante todo o domingo na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio de Janeiro, com música ao vivo, piquenique e contação de histórias para as crianças. Tudo de graça.
A biblioteca colaborativa e itinerante contou com um acervo inicial de 300 títulos, doados por uma editora e por sebos da cidade. Quem doar dois livros de literatura pode escolher um e levar pra casa. Uma das idealizadoras do projeto, Bárbara Soledade explica que o objetivo é retomar o contato com o livro e o prazer da leitura ao ar livre, deixado de lado em tempos de internet, tablets, smartphones e leitura online.

“Criando ambientes acolhedores em espaços públicos da cidade, a gente traz livros e as pessoas participam. A gente tem uma estante com 300 títulos, e a cada dois livros doados as pessoas podem levar um para casa. Com o processo colaborativo a gente vai abastecendo a prateleira. Esta é a primeira edição do projeto”.

De acordo com Bárbara, a ideia é tornar o evento quinzenal a partir de outubro, ocupando outros espaços da cidade. “Nosso intuito é que aconteça a cada 15 dias a partir outubro. A ideia e que seja itinerante, rodar o Leme, Arpoador, Aterro do Flamengo, a Praça Paris, o Parque de Madureira, a Quinta da Boa Vista. Nosso intuito é realmente andar com a biblioteca para que a população tenha acesso aos livros”.

A divulgação do projeto Livre.Ria é feita pelas redes sociais e a data da próxima edição ainda não foi definida.

FONTE: Akemi Nitahara / Agência Brasil
FOTO: reprodução / Akemi Nitahara

> Notícia publicada em 02/09/2014.
 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais