Henrique Schneider é o Patrono da Feira do Livro de NH
Escritor foi escolhido em inédita eleição pública na Internet promovida em julho pela Prefeitura
   
Pela primeira vez em 27 edições, o Patrono da Feira do Livro de Novo Hamburgo foi definido através da participação do público. Em eleição promovida na página eletrônica da Prefeitura, os hamburguenses escolheram Henrique Schneider para apadrinhar o evento literário que ocorre entre os dias 09 e 18 de

outubro de 2009. “Não sou um Patrono indicado, sou um Patrono eleito, o que me honra ainda mais”, comemorou o escritor ao saber da vitória.


Schneider era um dos indicados pela comissão organizadora do evento para participar da escolha pública. Concorreram com ele Carlos Urbim, Fabrício Carpinejar e Liti Belinha. O público pôde optar pelo preferido durante o mês de julho. Foram 2.426 votos. O vencedor ficou com 1.093. Carpinejar foi o segundo colocado com 764 votos, seguido por Belinha (479) e Urbim (90). O anúncio oficial do resultado ocorreu na última segunda-feira, 03 de agosto, no Centro Administrativo de Novo Hamburgo.


Secretária de Cultura, Anita de Oliveira explica o objetivo do processo seletivo. “Essa iniciativa faz parte de uma idéia maior que envolve a feira, na tentativa de fazer com que a comunidade participe mais.” O prefeito destacou a importância da escolha do Patrono. “Não houve nenhuma campanha massiva, por isso essa quantidade de votos qualifica a feira”, argumenta Zimmermann. “O Henrique já é um escritor laureado em nível estadual e nacional e certamente Novo Hamburgo sente orgulho de tê-lo como Patrono.”


Compromisso - Henrique Schneider não esconde a satisfação em ser escolhido pela primeira vez Patrono da Feira do Livro de Novo Hamburgo. Ele chama a atenção para a participação da comunidade. “Tenho uma vivência de muitos anos em feiras do livro e essa é a primeira eleição pública.”


O escritor lembra ainda do compromisso que assume como padrinho, que cresce em razão da escolha direta. “Sinto-me feliz, muito honrado, mas também muito compromissado. Nasci em Novo Hamburgo. Moro em Novo Hamburgo e é aqui que eu escrevo.” O Patrono promete “arregaçar as mangas” para fazer da feira um evento de debates e idéias. “Quem não entende um parágrafo, não entende o mundo.”


CARREIRA LITERÁRIA


Henrique Schneider tem 45 anos e é advogado, natural de Novo Hamburgo. Desde 2003, escreve contos para a coluna Vida Breve em um jornal dominical do Vale do Sinos. A experiência resultou no Projeto de Leituras Feevale Contos da Vida Breve, no qual lê e interpreta ao vivo alguns dos contos. A terceira edição começou em julho e nas duas anteriores o escritor esteve em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Montevidéu e Buenos Aires.


O trabalho mais recente são os textos do livro de fotos Novo Hamburgo – a cidade se revela, dos fotógrafos Joel e Isa Reichert. É autor de Pedro Bruxo (Metrópole, 1984), O Grito dos Mudos (L&PM, 1989/Bertrand Brasil, 2006), A Segunda Pessoa (Mercado Aberto, 1998) e Contramão (Bertrand Brasil, 2007), Livro do Ano em 2008 pela Associação Gaúcha de Escritores - Ages e finalista do Prêmio Jabuti, de repercussão nacional.


FOTO: Isa Reichert / Oficina de Photographia
 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais