Henrique Schneider ministra conferência de encerramento em seminário sobre
Escritor fará abordagem lírica da obra de Antoine de Saint-Exupéry.
   
O Pequeno Príncipe, livro lançado em 1943 e participante frequente das listas de mais vendidos até hoje, é o tema do seminário “Infâncias: (ins)pirações e experimentações”, promovido pelo Núcleo de Apoio Psicológico (NAP) da Secretaria de Educação de Novo Hamburgo (SMED) nesta sexta-feira, dia 25. A atividade ocorre no Auditório do 10º
andar do Centro Administrativo Leopoldo Petry (Rua Guia Lopes, 4201) e o escritor Henrique Schneider será o responsável pela conferência de encerramento do evento.

O seminário comemora os 11 anos do NAP e receberá cerca de 250 profissionais, entre professores da Sala de Recursos Multifuncionais, coordenadores pedagógicos, orientadores educacionais e representantes dos espaços pedagógicos. Enquanto Soraya Hack, Blanka Brenner, Dóris Flores, Adriana Balen e Laudemir Weber, membros do Instituto de Psicologia (IPSI), farão uma mesa redonda com abordagem técnica sobre as temáticas envolvidas na obra, Schneider apresentará um ponto de vista mais lírico. “Farei conjeturas e comentários a respeito da atualidade d’O Pequeno Príncipe, propondo um diálogo entre a história e o mundo de hoje – e me divertindo, inclusive”, adianta Schneider.

A obra de Antoine de Saint-Exupéry (imagem abaixo) foi trabalhada com jovens assistidos pelo NAP e com professores. Além da leitura do livro, uma sessão de cinema também fez parte da programação. Ocorrida no dia 08 de julho, ocupou duas salas do CinEspaço, em Novo Hamburgo, que receberam cerca de 400 crianças e seus familiares, como noticiou o Jornal NH, para assistir O Pequeno Príncipe.



A animação de Mark Osborne lançada em 2015 conta a história de Pequena Garota, “que está sendo preparada por sua mãe para o mundo muito adulto no qual vivem – e é interrompida por seu excêntrico e amável vizinho, O Aviador. O Aviador apresenta sua nova amiga a um mundo extraordinário, no qual tudo é possível. Um mundo ao qual ele mesmo foi apresentado há muito tempo pelo Pequeno Príncipe. É aí que começa a jornada mágica e emocionante da Pequena Garota pela sua própria imaginação – e pelo universo do Pequeno Príncipe. E é onde a Pequena Garota redescobre sua infância e aprende que o que importa são as relações humanas e o que é realmente essencial somente pode ser visto com o coração” (sinopse oficial).

Veja o trailer do filme:



> Notícia publicada em 24/08/2017.
 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais