Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil
Afirmação é do diretor da Biblioteca Pública do Paraná, que também classifica o Prêmio Paraná de Literatura como uma das premiações mais democráticas do país.
   
Em dezembro de 2017, o livro Setenta, de Henrique Schneider, foi anunciado como o vencedor da categoria Romance do Prêmio Paraná de Literatura. Em sua quarta edição, o concurso consolidou-se “como um dos principais do Brasil”, conforme avaliação do diretor da Biblioteca Pública do Paraná (BPP), Rogério Pereira.
Leia mais

Perspectivas: Henrique Schneider comemora Prêmio Paraná 2017

Em entrevista à página da instituição, Pereira destaca a opção do Prêmio pela inscrição gratuita e digital, alternativa que retira da equação os custos de impressão e correio para os candidatos. “Se já era uma das premiações mais democráticas do país, agora também é uma das mais acessíveis”, pondera.

Dentre os 2.180 livros inscritos no concurso, há representantes de todos os estados e obras enviadas por brasileiros que moram fora do país. O Rio Grande do Sul, onde Schneider reside e em cuja capital se desenvolve a trama de Setenta, foi o quinto estado com maior número de participantes. O campeão neste quesito foi São Paulo, seguido por Paraná, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

“Na contramão da crise, a Biblioteca Pública investe no estímulo à produção e, consequentemente, coloca o Paraná como um dos protagonistas deste excelente momento literário do Brasil”, avalia Pereira. A entrega oficial dos prêmios e o lançamento dos livros agraciados pelo Prêmio Paraná de Literatura 2017 estão previstos para ocorrer ainda no primeiro semestre de 2018.

Vencedores de todas as edições do Prêmio Paraná de Literatura


2012

- Romance | Prêmio Manoel Carlos Karam: Sergio Y vai à América, de Alexandre Vidal Porto

- Contos | Prêmio Newton Sampaio: Papis et circenses, de José Roberto Torero

- Poesia | Prêmio Helena Kolody: As maçãs de antes, de Lila Maia

2013

- Romance | Prêmio Manoel Carlos Karam: Meu Primeiro Morto, de Jaci Palma

- Contos | Prêmio Newton Sampaio: Ensaio sobre o entendimento humano, de Caetano Galindo

- Poesia | Prêmio Helena Kolody: Fábulas para adulto perder o sono, de Adriane Garcia

2014

- Romance | Prêmio Manoel Carlos Karam: Operação impensável, de Vanessa Barbara

- Contos | Prêmio Newton Sampaio: No início, de Adriana Griner

- Poesia | Prêmio Helena Kolody: Fios, de Sônia Barros

2017

- Romance | Prêmio Manoel Carlos Karam: Setenta, de Henrique Schneider

- Contos | Prêmio Newton Sampaio: A bandeira de Cuba, de Marcelo Degrazia

- Poesia | Prêmio Helena Kolody: Tempo de dentro, de Sônia Barros

Com informações da BPP
 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider concede entrevista à Radio France Internationale