Como tudo começou: Henrique Schneider lê contos, dona Ivone toca jazz
Sessão de encerramento do projeto Leituras Feevale Contos da Vida Breve 2010 ocorre nesta quarta-feira, em Porto Alegre.
   
Ver a Dama do Jazz é cada vez mais raro. Afinal, dona Ivone Pacheco já tem lá seus 70 e muitos anos, firme e forte. Será um privilégio de quem for ao encerramento do Leituras Feevale Contos da Vida Breve 2010 nesta quarta-feira, dia 24. A partir das 19 horas, o escritor Henrique Schneider lê e interpreta ao vivo sua obra na Palavraria.
Leia Mais

Conheça a carreira literária de Henrique Schneider

Confira os contos da Vida Breve

Como ocorrera na abertura do projeto, em julho, na Fundação Scheffel (Novo Hamburgo), o evento terá música e literatura na mais perfeita sintonia. Um conto e outro em meio ao som do piano e do acordeon característicos do Jazz da dona Ivone. De lá para cá, Schneider percorreu 13 cidades, do Brasil e do exterior, celebrando o gosto de “ler” e satisfazendo a curiosidade das pessoas de "ouvir" um escritor.

---
LEITURAS FEEVALE CONTOS
DA VIDA BREVE 2010
PORTO ALEGRE
Henrique Schneider
Dona Ivone Pacheco
---
Onde: Palavraria - Livros e Café
Vasco da Gama, 165, Bom Fim, Porto Alegre
Quando: quarta-feira, 24 de novembro de 2010
Horário: 19 horas
ENTRADA FRANCA
---

ESCRITOR ITINERANTE - Foram viagens da terra natal de Henrique Schneider, a Capital Nacional do Calçado, onde tudo começou, até Buenos Aires, na Argentina. Nesse meio tempo, passagens por Florianópolis, Curitiba, Belo Horizonte e pelo interior do Rio Grande do Sul.

Durante aproximadamente 50 minutos, ele lê e interpreta ao vivo alguns dos contos que escreve desde 2003 em jornal dominical que circula no Vale do Sinos e na Região Metropolitana de Porto Alegre. A coluna leva o nome de Vida Breve. O projeto de leituras está na quarta edição, todas patrocinadas pela Universidade Feevale.

Dama do Jazz


A Dama do Jazz é a atração especial. “Sempre é uma honra compartilhar de momentos culturais com ela”, comemora Schneider. Aos 77 anos, Ivone Pacheco é natural de Santa Maria e um dos principais nomes do gênero no Estado. Fundou no início da década de 80 a mais importante casa de Jazz gaúcha. Em Porto Alegre, na garagem de sua casa, comanda noites jazzísticas no que chamou de Clube de Jazz Take Five.


FOTO: Felipe de Oliveira
 
 

 


Prêmio que agraciou Henrique Schneider é um dos principais concursos do Brasil


Entrevista: o processo de criação de Setenta


Henrique Schneider palestra no Festival Literário dos Campos Gerais